Material extraído da celulose promete revolucionar a ciência e a tecnologia

17 de dezembro de 2019
ekaterinvor-615
A nanocelulose é natural, facilmente renovável e pode ser usada na produção de cosméticos, no fortalecimento de materiais de construção, peças leves para carros e até tecidos.

Quem diria que de dentro de uma árvore de eucalipto seria possível extrair uma substância tão poderosa que é capaz de cicatrizar feridas mais rapidamente, fazer com que cosméticos penetrem nas camadas mais profundas da pele e ainda substituir o uso de petróleo em alguns produtos?

Estamos falando da nanocelulose, que tem sido considerada por estudiosos, como o maior avanço tecnológico dos últimos tempos. E os motivos vão desde a diversidade na utilização até a forma com que ajuda a preservar o meio ambiente.

A nanocelulose é uma micropartícula da celulose, com uma espessura dez mil vezes menor do que um fio de cabelo. Claro para chegar a esse material foram necessários anos de estudo, tecnologia e muita dedicação dos pesquisadores.

 

Sustentabilidade

Uma das fontes de celulose mais conhecidas é o eucalipto, que é obtido com florestas plantadas e não das nativas, melhor para a preservação do meio ambiente. Conforme a doutora em Química, Heliane Amaral, a celulose é mais abundante do que imaginamos e não está presente só nos resíduos de eucalipto.

A celulose é o material mais abundante do mundo, porque está presente em todos os tipos de planta, então é possível obter celulose a partir de vários resídios, como do eucalipto, do bagaço de cana, da palha de coco, da casca do arroz, palha do café. Ou seja, com algo natural, podemos melhorar a produção de materiais diversos através da nanocelulose”, explica Heliane.

Heliane diz ainda que a eficiência está fortemente ligada ao tamanho do material, então a nanocelulose tem propriedades melhoradas em relação a celulose. E ainda tem o ganho na economia, porque a nano usa apenas cerca de 3% da celulose.

A Suzano, que tem base em Aracruz, norte do Estado, especialista na produção de celulose e papel, tem investido há pelo menos cinco anos no estudo e experiências com a nanocelulose. A partícula já é usada em papéis, cosméticos e tintas.

A gerente executiva de desenvolvimento de celulose e biorrefinaria da Suzano, Bibiana Ribeiro Rubini, explica que as grandes propriedades dos materiais nanos são de dar mais resistência aos produtos.

É como se a nanocelulose transformasse o líquido em gel. É possível, por exemplo, fazer um papel mais resistente, uma tinta que não vai escorrer, nem manchar, um cosmético com mais aderência à pele, um cimento firme e com mais leveza, e até mesmo tecidos”.

 

 

Futuro e Sustentabilidade

Uma das grandes vantagens é que a nanocelulose tem a capacidade de modificar diversos materiais mas é um produto renovável, natural.

Hoje, para que uma tinta não escorra, é usado petróleo na composição. Usando a nanocelulose para essa função estaremos dando um passo para investir na sustentabilidade do mundo”, pondera a gerente executiva de desenvolvimento de celulose e biorrefinaria da Suzano, Bibiana Ribeiro Rubini

Estudiosos acreditam que no futuro a nanocelulose possa substituir o plástico que tanto polui o nosso planeta ou mesmo o alumínio.

No Japão, um carro foi construído com fibras de nanocelulose. O material tem um quinto do peso e cinco vezes a resistência do aço, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente. Ao usar esse tipo de fibra para compor a maior parte do veículo, o resultado é um carro com metade do peso de um tradicional, com uma redução de 10% em sua massa total.

 

Foto: Stylo Urbano

 

Nanotecnologia e beleza

A nanocelulose também é utilizada em cosméticos. Não só ela, mas outros produtos utilizados com nanotecnologia são capazes de melhorar o resultado do produtos.

Não é difícil entender o motivo. Como a nanotecnologia usa partículas minúsculas, elas são capazes de penetrar de forma mais profunda na pele, alcançando locais que outros produtos não chegam. Nesse conceito, o que se prega é: “quanto menor, melhor”.

 

Menos alergias e mais aderência na pele

Uma outra vantagem é que os medicamentos e cosméticos feitos com nanotecnologia dão menos reações alérgicas, como explica a farmacêutica Luiza Tomasi Scardua.

Essas bases mais naturais tem trazido benefício para as pessoas que tem uma sensibilidade maior na pele, inclusive crianças. Elas toleram muito bem os produtos e além disso são eles são mais aderentes e tem uma ótima textura”.

A dermatologista Thays Rigoni afirma que os cosméticos feitos com nanotecnologia são muito elogiados pelas pacientes. Um exemplo é a vitamina C, que é usada para combater os radicais livres e melhorar o aspecto geral da pele. Mas as propriedades tem perdas se usadas em cosméticos comuns.

Já com uso da nanotecnologia, a vitamina C fica mais estável e tem maior penetração na pele, por causa das partículas reduzidas”, enfatiza.

 

Fonte: Celulose Online (13/12/2019).

Ilustração: ekaterinvor por Pixabay


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559


Categorias






2019 Abisolo- Todos os direitos reservados – Política de Privacidade