Agro: Um ecossistema de inovação e desenvolvimento, por Agroanalysis/FGV

24 de outubro de 2019
close up woman hand watering a green young plant
A história do Brasil e a história da agricultura no País se confundem. Muito do crescimento do nosso País deve-se ao agronegócio.

Não é por acaso que o setor é a base da economia brasileira e, também, um grande catalisador do desenvolvimento econômico. Por outro lado, o agronegócio brasileiro pôde se desenvolver graças às riquezas da nação: a extensão territorial; o meio ambiente com os seus recursos naturais e a sua biodiversidade; e a coragem e a persistência do seu povo, que desbravou de norte a sul e leste a oeste as terras brasileiras.

Todo esse conhecimento aplicado no desenvolvimento de insumos adaptados ao Brasil – como fertilizantes, defensivos agrícolas, vacinas e controle biológico de pragas – tem papel fundamental na melhoria contínua do uso do solo e na geração de raças de animais mais eficientes e variedades de plantas mais resistentes às intempéries. Esse conjunto de inovações é que nos permitiu chegar até aqui e nos conduzirá ao futuro, produzindo cada vez mais alimentos seguros e saudáveis para alimentar o mundo, fibras e bioenergia – tudo sempre lastreado na sustentabilidade.

Como temos assistido nos últimos dias, além de qualidade e segurança, o mundo tem exigido que todo o ecossistema produtivo esteja atento às questões ambientais, com proteção dos nossos recursos naturais e da nossa biodiversidade e redução das emissões de carbono. Trata-se, portanto, de uma demanda pela produção agrícola de baixo carbono.

A gestão ambiental já ocorre no dia a dia das nossas atividades. Uma área de 66% do território nacional está coberta por florestas, e, em São Paulo, mesmo sendo o estado mais desenvolvido economicamente, temos 22% do território com vegetação protegida. Comprovamos que é possível produzir com eficiência e preservar com eficácia, sendo a Ciência a protagonista que nos permite inovar nos processos produtivos e desenvolver o País com sustentabilidade.

Criamos um paradoxo: a inovação tornou-se uma rotina no setor agrícola, presente em todos os elos da cadeia. Com todas as exigências ambientais e territoriais, a competição no mercado global, o aumento da demanda por alimentos e a necessidade de desenvolver econômica e socialmente o Brasil, o agronegócio não teve outra saída que não o uso da ciência e a incorporação de uma mentalidade inovadora contínua nos seus processos produtivos.

A modernização do agronegócio está acontecendo pela introdução de tecnologia para ganhos de produtividade, com a previsão de clima, o gerenciamento do uso de agroquímicos, a logística de abastecimento, o controle de água na irrigação, a otimização no uso de combustíveis, o uso de big data, cloud computing, imagens de satélite, automação, edição gênica, conectividade, financiamento customizado para cada produtor, entre várias outras aplicações. A inovação de processos também está cada vez mais presente e é fundamental para a sustentabilidade, a perpetuidade e o desenvolvimento do setor.

O salto quântico que daremos depende do que já conhecemos e incorporamos na rotina de produção: ciência e inovação, aplicadas em todo o ecossistema do setor. Assim, desenvolveremos São Paulo e o Brasil a partir do agronegócio.

Para acompanhar todas as informações disponibilizadas pela revista Agroanalysis, clique aqui.

 

Fonte: Notícias Agrícolas, Por: Gustavo Diniz Junqueira (22/10/2019).

Ilustração: Árvore foto criado por jcomp – br.freepik.com


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559


Categorias






2019 Abisolo- Todos os direitos reservados – Política de Privacidade