Usina de compostagem traz vantagem econômica e ambiental

9 de agosto de 2019
usina-ETE-615x406
Inaugurada, obra vai gerar R$ 600 mil anuais de economia, diz o prefeito de Nova Odessa Bill Souza.

A Prefeitura de Nova Odessa inaugurou ontem a primeira usina de compostagem de lodo de esgoto da RMC (Região Metropolitana de Campinas), capaz de transformar em adubo orgânico o lodo obtido a partir do tratamento de efluentes da cidade.

Além de ser uma alternativa ambientalmente importante, a usina fará a cidade economiza R$ 600 mil por ano com a nova destinação dada ao lodo resultante dos esgotos domésticos.

Hoje, esse lodo é descartado em um aterro particular, em Paulínia, ao custo de R$ 50 mil mensais – o que será evitado com a usina.

Quando assumimos a prefeitura, apenas 7% do esgoto da cidade era tratado. Trabalhamos, investimos e hoje tratamos todo o esgoto que coletamos. Com a ampliação do tratamento, aumentou o volume de logo e surgiu a necessidade de pensarmos numa destinação melhor para esse material. Ao inaugurar essa usina, além de tratarmos nossos efluentes integralmente, contribuindo com o meio ambiente e vamos economizar R$ 600 mil por ano”, afirmou ontem o prefeito Bill Souza, ao inaugurar pela manhã as instalações da usina, montada em um barracão de 1.250 m² da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Quilombo.

A compostagem consiste na mistura do logo de esgoto com restos de podas de árvores e substâncias químicas, como óxido de cálcio e calcário.

A licença para operação da usina foi emitida no final de junho pela Cetesb. De acordo com a Coden, a usina tem capacidade para produzir 160 toneladas de fertilizante por mês.

A entrega da obra reuniu, além de secretários municipais e vereadores, o diretor-presidente da Coden (Companhia de Desenvolvimento de Nova Odessa), Ricardo Ongaro, e autoridades regionais ambientais.

O presidente da Coden, responsável pelos serviços de água e esgoto na cidade, destacou o ganho ambiental com a usina.

Em que peses o aterro sanitário ser um espaço apropriado e licenciado pela Cetesb, não é a melhor alternativa ambiental. Com a compostagem do logo, além de tirarmos uma média de 8,5 toneladas diárias do aterro, vamos usar podas de árvore, cuja destinação é um problema”, disse Ongaro.

Ongaro observou ainda que o adubo a ser obtido a partir da compostagem do logo poderá ser utilizado em parques, praças e jardins.

O projeto da usina foi financiado com R$ 1,652 milhão proveniente da cobrança pelo uso da água R$ 234,2 mil de contrapartida da Coden.

A cobrança pelo uso da água é gerenciada pela Fundação Agência das Bacias PCJ (Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, cuja decisão de distribuição é feita pelos Comitês PCJ).

 

Nova Odessa dá exemplo, avaliam entidades

Nas bacias PCJ (Piracicaba, Capivari e Jundiai), Nova Odessa é um exemplo de município comprometido com a melhoria da qualidade e o tratamento de esgoto. A usina de compostagem é mais um empreendimento que nasce dessa vontade de melhorar as condições dos moradores da cidade”, afirmou ontem a coordenadora de Projetos da Agência de Bacias PCJ, Elaine Franco de Campos, que esteve na inauguração.

O diretor-geral da Area-PCJ (Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí), Dalto Brochi, ressaltou o compromisso ambiental da cidade.

Nova Odessa é exemplo não só para a Região Metropolitana de Campinas, mas para o Estado de São Paulo e para o país”, enfatizou Brochi.

Para o superintendente do Consimares (Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos), Valdemir Ravagnani, o “Mimo”, ao processar o lodo, Nova Odessa cumpre mais uma meta estabelecida pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (lei federal 12.305/10), que completou 9 anos no último dia 02/08.

A iniciativa de Nova Odessa mostra que é possível reciclar o orgânico. A gente fala muito em papel, plástico e alumínio, mas esquece de reciclar o orgânico”, avaliou o superintendente.

 

Fonte: Todo dia (08/08/2019).


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559


Categorias






2019 Abisolo- Todos os direitos reservados – Política de Privacidade