Tratamento de águas residuais concentra nitrogênio para produção de fertilizantes

18 de julho de 2019
Océane-Hames-and-Lucas-Ott-696x391
Os alunos de mestrado, Océane Hames e Lucas Ott, da Engenharia Ambiental da EPFL (École polytechnique fédérale de Lausanne), na Suíça, desenvolveram um novo método para recuperar o nitrogênio das águas residuais e concentrá-lo na produção de fertilizante líquido.

A Estação de Tratamento de Efluentes Municipais de Yverdon-Les-Bains, na Suíça, é uma instalação convencional constituída por sedimentação essencial, procedimento de lodo iniciado e esclarecimento.

É a primeira fábrica do país a instalar um sistema de membrana de decapagem para recuperação de nitrogênio. Usando uma membrana de polipropileno, o sistema filtra o nitrogênio do restante da água residual, depois que o efluente passou por algum processamento inicial. A nova tecnologia possibilidade a produção de fertilizante líquido de alta qualidade e promove a redução da emissão de nitrogênio pelas plantas nos riachos.

Dois alunos de mestrado da EPFL optaram por se concentrar na estação de tratamento de águas residuais de Yverdon-Les-Bains para o seu projeto semestral. A intensão de trazer o processo para a estação é de torná-lo mais eficiente, expandindo a concentração de nitrogênio do fertilizante para mais de 40 g/l, e reduzir o custo de armazenagem e transporte.

 

Como funciona?

Com base no princípio da técnica de destilação osmótica, eles desenvolveram um método específico para o nitrogênio que poderia ser incorporado nos processos de tratamento de águas residuais existentes.

A destilação osmótica tem a vantagem de poder concentrar o suco de frutas à temperatura ambiente, o que significa que o sabor do suco e as propriedades nutricionais permanecem intactos. Em sistemas de destilação osmótica, uma membrana porosa hidrofóbica permite a passagem de compostos gasosos como vapor, mas não líquidos. A força motriz é gerada por uma diferença parcial de pressão de vapor entre os dois fluidos separados pela membrana. Esse é o mesmo mecanismo que usamos para concentrar o nitrogênio no fertilizante líquido”, comentou Hames, um dos alunos do programa.

Os alunos testaram seu novo método de destilação osmótica em uma unidade piloto fornecida pela Membratec, uma empresa sediada em Sierre que desenvolve tecnologia de membranas para o tratamento de águas residuais. O experimento consistia em dois reservatórios de águas residuais de 25 l, bombas e dois cilindros metálicos contendo uma membrana de decapagem. Eles fizeram testes no sistema de circuito fechado usando um fluido com a mesma composição do fertilizante fornecido ao agricultor de Vaud.

 

Fonte: Tech Explorist (15/07/2019).


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559


Categorias






2019 Abisolo- Todos os direitos reservados – Política de Privacidade