Japoneses descobrem uma nova forma de sintetizar amônia

9 de maio de 2019
SWAP-694x458
Pesquisadores Japoneses desenvolvem novo processo de sintetização da amônia, matéria-prima para a produção de fertilizantes nitrogenados, propõe maior economia e eficiência energética em sua produção. Se viabilizado em larga escala, o processo poderá impactar nos preços e disponibilidade da matéria-prima para a indústria.

Desde o início do século 20 até os dias atuais, a população mundial aumentou de 2 para 7 bilhões de pessoas. Tal crescimento populacional teria sido impossível sem o uso generalizado de fertilizantes.

O processo Haber-Bosch, amplamente utilizado na produção industrial de amônia, permitiu um aumento significativo na produção de fertilizantes nitrogenados, no entanto, esse processo é muito consumidor de energia e ineficiente, pois converte apenas 10% do material de origem por ciclo. A matéria-prima utilizada é o hidrogênio, que combina com o nitrogênio a uma temperatura de 400-600 °C e uma pressão de 100-200 atm.

Para superar essas limitações, uma equipe de cientistas da Universidade de Tóquio (Japão), liderada pelo professor Yoshiaki Nishibayashi (Yoshiaki Nishibayashi), inventou um processo alternativo de produção de amônia, chamado de Produção de Amônia de Água de Samário (SWAP).

Durante este processo, o nitrogênio combina com prótons de hidrogênio e elétrons de átomos de samário usando um catalisador especial à base de molibdênio.

Nosso processo de SWAP sintetiza a amônia 300-500 vezes mais rápido que o processo Haber-Bosh, com 90% de eficiência”, diz Yoshiaki Nishibayashi. Ele acrescentou que o novo processo pode ser replicado no laboratório químico de bancada, enquanto o processo Haber-Bosch requer equipamento industrial completo.

Uma forte motivação foi tornar o processo de SWAP viável em uma escala de desktop. Espero ver como esse processo democratiza a produção de fertilizantes. Portanto, estamos falando não apenas sobre custos iniciais, mas também sobre custos fixos e economia de energia. Minha equipe está propondo essa ideia para melhorar a agricultura nos lugares onde ela é mais necessária”, concluiu o cientista.

 

Fonte: Fertilizer Daily (08/05/2019).


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559


Categorias






2019 Abisolo- Todos os direitos reservados – Política de Privacidade