Pesquisadora da IEA aponta cenário positivo para o algodão

13 de março de 2019
size_960_16_9_algodao36
Dados do segundo levantamento da safra 2018/19 sobre o cultivo de algodão no Estado de São Paulo, confirmam o aumento de 76,1% na área plantada, que passa de 8,8 mil hectares para 15,5 mil ha, e ampliação da produção em mais 70%.

De acordo com o Instituto de Economia Agrícola (IEA), instituição de pesquisa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, o aumento da área plantada é resultado da conjugação de fatores internos e externos.

O câmbio e os preços das externos estão entre as razões que contribuíram para esse crescimento. A intenção de plantio, declarada no levantamento anterior, se efetivou, superando as expectativas. No entanto, as condições climáticas, fundamentais para o desenvolvimento da cultura, determinarão, nos próximos meses, os resultados para o produto. O mercado interno, outra importante peça do sistema, ainda é uma incógnita pois o cenário para 2019 não está definido”, explicam os pesquisadores do IEA.

Em 2019, o suprimento mundial de algodão apresenta um decréscimo de 2,3% em relação ao ano precedente, com oferta estimada em 43,4 milhões de toneladas. A produção mundial de algodão deve atingir 25,8 milhões de toneladas, volume 4% menor que o obtido em 2018. Esse quadro resulta de reduções das produções da Índia e dos Estados Unidos, enquanto os demais produtores: China, Brasil e Paquistão, mantiveram ou aumentaram suas safras, conforme o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), afirma Marisa Zeferino, pesquisadora do IEA.

No mercado brasileiro, o cenário aponta para um aumento de 43,6% na oferta de algodão tendo em vista a oferta de 3,16 milhões de toneladas na safra 2018/19, resultante do crescimento na produção e nos estoques de passagem da fibra, conforme a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

As exportações deverão ser o principal canal de comercialização da safra brasileira pelo terceiro ano consecutivo e totalizar 1,45 milhão de toneladas, 61% maior que a quantidade destinada ao comércio exterior no ano passado. O continente asiático tem sido o principal destino do algodão brasileiro com as importações por parte da Indonésia, Tailândia e China, destaca a pesquisadora”.

A comercialização da safra 2018/19 deverá transcorrer com estoque da fibra no mercado brasileiro no patamar de 1 milhão de toneladas, o mais elevado dos últimos anos. Desse modo as exportações para a Ásia deverão ser intensificadas simultaneamente as importações de manufaturas o que configura o perfil do comércio exterior brasileiro da cadeia de produção têxtil, conclui Marisa Zeferino.

Confira o artigo completo no site do IEA.

 

Fonte: Notícias Agrícolas (11/03/2019).


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559


Categorias






2019 Abisolo- Todos os direitos reservados – Política de Privacidade