Reservas de carvão tornam-se matéria-prima para fertilizantes

14 de fevereiro de 2019
aragon_carbon-k96F--620x349@abc
Depois do fechamento de suas minas de carvão, Grupo SAMCA investe no lançamento de nova fábrica de fertilizantes minerais e em atividades de pesquisa e desenvolvimento dedicados a explorar as áreas de reservas de carvão como fonte de matéria-prima para fertilizantes minerais.

Aproveitar as reservas de carvão para produzir fertilizantes e realocar dezenas de mineradores para a fábrica de fertilizantes agrícolas. Isto é, resumidamente, o projeto promovido pela holding aragonês SAMCA, com o qual visa a compensar para o encerramento de minas de carvão que explorado até agora nas bacias turolenses.

As limitações impostas pela legislação e política europeia a este respeito pelo governo espanhol, condenou o encerramento das últimas minas de carvão que estavam previstas para fechar até junho de 2020, a usina térmica de Andorra (Teruel).

No caso de Aragão, o encerramento da última mina de carvão remanescente, a de Ariño, significa o desaparecimento de 195 postos de trabalho: 40 pertencentes ao pessoal da SAMCA e o resto aos terceirizados.

SAMCA disse há algumas semanas que tinha projetos em andamento para garantir os empregos de seus funcionários, e um deles está agora tomando forma com o apoio do governo aragonês, que se comprometeu a acelerar seus procedimentos administrativos.

O governo regional concordou terça-feira (12/02) com os planos de investimentos do Grupo SAMCA para lançar uma fábrica de fertilizantes minerais e realizar atividades de pesquisa e desenvolvimento dedicados a explorar as áreas de reservas de carvão como fonte de matéria-prima para fertilizantes agrícolas.

A fábrica vai começar na cidade de Ariño. Os planos da SAMCA são para investir algo em torno de 41 milhões de euros e gerar 85 empregos diretos e pelo menos 40 indiretos, permitindo a continuidade da maior parte do pessoal da mina.

A fábrica utilizará, como matéria-prima de fertilizantes, linhita e leonardita, minerais presentes nos depósitos de carvão Teruel. Isso dará uma “segunda vida” ao carvão para ser usado como fertilizante agrícola em vez de combustível fóssil.

A extração dos minerais terá lugar em vários locais, incluindo Ariño, Foz Calanda, Oliete, Alcaine e Cañizar del Olivar. E, além disso, a fábrica de fertilizantes também será alimentada com outra fonte de matéria-prima: gado e resíduos agrícolas gerados na Tauste Ganadera S.A., uma empresa pertencente ao grupo SAMCA.

A nova fábrica de fertilizantes já tem o terreno no qual será instalada, e deverá iniciar suas operações até 2020.

 

Fonte: ABC Espanha (12/02/2019).


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559


Categorias






2019 Abisolo- Todos os direitos reservados – Política de Privacidade