Produtividade da cana na aplicação de biofertilizantes

14 de fevereiro de 2019
cana 615
O uso de substâncias húmicas, aminoácidos e extrato de algas marinhas pode contribuir para o aumento da eficiência fotossintética e metabólica da cana, com reflexos na produtividade e qualidade industrial. Neste trabalho estudou-se o efeito da aplicação foliar de dois produtos contendo tais substâncias, sobre a eficiência de diversas variáveis da qualidade da cana. Como resultados, foi observado um aumento na produtividade de colmos.

Nos últimos anos, houve um aumento na busca por práticas de cultivo que ajudem a aumentar o rendimento e a sustentabilidade dos sistemas de produção agrícola. Em diferentes áreas produtoras de cana-de-açúcar, várias tecnologias estão sendo empregadas para aumentar a eficiência de insumos, reduzir custos de produção e elevar a produtividade do solo e da força de trabalho, com o objetivo de tornar a atividade mais lucrativa e sustentável.

Novas tecnologias estão sendo criadas e rapidamente assimiladas pelo setor produtivo. Hoje, uma das alternativas mais recentes é o uso de substâncias húmicas e extratos de algas marinhas. Substâncias húmicas são os produtos da decomposição de resíduos orgânicos e participam de importantes reações que ocorrem nos solos, influenciando a fertilidade pela liberação de nutrientes, pela desintoxicação de elementos químicos, melhorando condições físicas e biológicas e produzindo substâncias fisiologicamente ativas. Relatórios de vários pesquisadores provaram que as substâncias húmicas podem influenciar a absorção de nutrientes, o metabolismo e o crescimento das plantas.

Dentre os seus principais mecanismos de ação no metabolismo das plantas incluem sua influência positiva no transporte de íons facilitando a absorção, aumento da respiração e velocidade das reações enzimáticas no ciclo de Krebs, resultando em maior produção de ATP, maior conteúdo de clorofila e síntese de ácidos nucleicos.

Neste contexto, um estudo publicado na Revista de Ciências Agrárias liderado por Oliveira e outros colaboradores, avaliou os efeitos da adubação foliar na cana-de-açúcar de dois produtos contendo substâncias húmicas e extrato de algas.

Segundo o estudo, a aplicação de substâncias húmicas e extratos de algas esteve relacionada com a produtividade do colmo, aumentando a produção de caule industrializado e os açúcares recuperáveis ​​em cerca de 30%, constituindo-se em outra tecnologia para otimizar o manejo produtivo da cana-de-açúcar.

Veja o detalhamento do estudo aqui.

Ainda nesta linha, o VIII Abisolo Fórum e Exposição trará cases de sucesso sobre os efeitos da nutrição foliar na cana-de-açúcar durante o ciclo de palestras do 1º dia. Conheça mais sobre o evento em www.forumabisolo.com

 

Fonte: Scielo – Revista de Ciências Agrárias, 06/2018.


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559


Categorias






2019 Abisolo- Todos os direitos reservados – Política de Privacidade