Exportações de cobre da Austrália devem aumentar 15% em dois anos com a expansão da produção

4 de julho de 2018
cobre_Placas-de-cobre-em-Tres-Valles-e1529584891373
As exportações de cobre da Austrália devem se expandir em 14,8% em dois anos, apoiadas pela produção incremental de novas minas e um retorno à produção normal das minas existentes, disse o Departamento de Indústria, Inovação e Ciência do país em junho de 2018.

A DIIS prevê que as exportações de cobre do país atinjam 1,03 milhão de toneladas (em conteúdo metálico) no ano fiscal de 2019-2020 (julho-junho), acima dos 897.000 mt estimados para o ano fiscal 2017-2018.

Espera-se que a produção de cobre minerado aumente em 15,1% para 1,03 milhão de t em dois anos, de um valor estimado de 898 mil toneladas no ano que acabou de terminar em 30 de junho de 2018.

Contribuindo para a maior parte do aumento da produção minada está o recomeço das operações totais na Olympic Dam da BHP após seus programas de upgrade, comissionamento da nova mina Hillside pela REX Minerals, um ramp-up antecipado da mina de Cadia Valley da Newcrest Mining após uma desaceleração prolongada devido a atividade sísmica em 2017, e um provável recomeço no início de 2019 da mina Mount Lyell desativada pela Sterlite Industries.

Enquanto isso, o relatório previu um impressionante aumento de 52,3% na produção de zinco da Austrália nos próximos dois anos, para 1,44 milhões de toneladas no ano fiscal de 2019-2020, de 944.000 toneladas estimadas para o ano fiscal de 2017-2018. O surto de produção reflete a quantidade significativa de capital investido na restauração da produção de minas e desbloqueio de novos depósitos devido ao aumento dos preços internacionais do zinco em 2017.

Como a Austrália tem um uso doméstico de zinco relativamente modesto, o aumento na produção será canalizado para o mercado de exportação. O DIIS prevê que o minério de zinco do país e as exportações de concentrado aumentem 66,3%, de 1,77 milhão de toneladas no ano fiscal 2017-2018 para 2,94 milhões de toneladas no ano fiscal de 2019-2020.

Espera-se também que a produção australiana de níquel se recupere rapidamente de um período significativo de fechamento de minas e instalações em 2016 e 2017.

O último relatório do DIIS prevê que a produção extraída de níquel suba para 178.000 toneladas (conteúdo metálico) no ano fiscal de 2019-2020, 9,2% maior do que um valor estimado de 163.000 toneladas no ano fiscal 2017-2018.

A recuperação reflete alguns pequenos aumentos de produção das minas existentes, bem como a abertura de mais duas minas na Austrália Ocidental: a mina de Mincor em Kambalda e a nova mina da Poseidon Nickel em Mount Windarra.

A produção refinada e intermediária de níquel na Austrália provavelmente registraria um aumento de 17,2% nos períodos de comparação, para 157.000 toneladas no ano fiscal de 2019-2020, de 134.000 toneladas no ano fiscal 2017-2018. A DIIS atribuiu o aumento em grande parte a um aumento projetado na produção da fábrica de Kwinana da BHP, onde as atualizações devem aumentar a capacidade nominal para 100.000 mt / ano a partir de abril de 2019.

Fonte: Hellenic Shipping News Worldwide


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559


Categorias






2019 Abisolo- Todos os direitos reservados – Política de Privacidade