Zinco com aumento na oferta e diminuição na demanda.

27 de junho de 2018
revestimento-zinco-03
Aumento de estoques da LME e novas produções na China e Peru, aumentam a oferta global, no entanto, a demanda se encontra ameaçada pela tensão comercial entre China e EUA.

O zinco continuou a cair depois de entrar em um mercado de baixa, em meio à preocupação com o aumento da oferta e a queda na demanda.

O metal industrial caiu para a nona sessão consecutiva, a maior sequência de derrotas em mais de três anos, e foi negociado a US$ 2.815 a tonelada na terça-feira, o menor em dez meses. É o metal de base com pior desempenho este ano na London Metal Exchange.

O aumento dos estoques da LME e a fraca demanda chinesa contribuíram para o agravamento dos fundamentos do zinco. Os suprimentos de concentrados de zinco continuarão subindo. Como resultado, os preços do zinco enfraquecerão ainda mais.

A nova produção da China e do Peru está aumentando a oferta global, enquanto a demanda está sendo corroída pela escalada das tensões comerciais entre os EUA e seus principais parceiros comerciais, principalmente a China. O Grupo Internacional de Estudo de Chumbo e Zinco informou na segunda-feira (25/06) que o fornecimento de zinco refinado aumentou 2,9% nos primeiros quatro meses do ano em comparação com 2017, enquanto a demanda no mesmo período caiu 0,5%.

O cobre, o chumbo e o estanho também caíram em Londres, enquanto o níquel e o alumínio avançaram.

Fonte: The Globe and Mail (26/06/2018)


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559


Categorias






2019 Abisolo- Todos os direitos reservados – Política de Privacidade