Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal

De acordo com um levantamento elaborado pela Comissão Nacional de Café da Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA), os custos de produção de café arábica podem ter alta de até 4% na safra de 2018. O aumento nos preços dos fertilizantes, combustíveis e mão-de-obra explicam parte dos gastos para os produtores.

As projeções da CNA são realizadas considerando os índices técnicos de 2017 e os reajustes com base nos preços dos insumos. Segundo o assessor técnico da instituição, Maciel Aleomir da Silva, a Bahia será um dos estados brasileiros que sofrerá um aumento mais significativo, principalmente na região de Luís Eduardo Magalhães, onde é esperado uma elevação de 3,8% no Custo Operacional Efetivo (COE): "esse custo está relacionado aos aumentos das despesas, como fertilizantes e combustíveis". 

Conforme o especialista, o preço da produção do café arábica deve subir 2,2% no Espírito Santo e 3,8% na Bahia. Para ele, o custo com a mão-de-obra terá um impacto muito grande, principalmente nas regiões montanhosas: "o custo será impulsionado pela expectativa de aumento do salário mínimo, que o Governo anunciou para R$969,00 na próxima safra". 

 

Fonte: Café Point (29/09/2017)

Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal



Parceiro:

Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal


Informações Agronômicas:

Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal

Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal

Todos os direitos reservados Abisolo © 2017