Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal

Os futuros de cobre operam em alta em Londres e Nova York, recuperando parte das perdas que acumularam na última semana, com os preços baixos atraindo demanda e em meio a questões trabalhistas numa grande mina da Indonésia.

Por volta das 7h40 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) subia 0,72%, a US$ 6.479,00 por tonelada.

Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em dezembro tinha alta de 0,98%, a US$ 2,9475 por libra-peso, às 7h43 (de Brasília).

A valorização do cobre veio após relatos sobre greves na mina indonésia de Grasberg, a segunda maior do mundo. A mina, que pertence à Freeport-McMoRan e ao governo da Indonésia, já foi afetada este ano por paralisações de trabalhadores e disputas de licenciamento.

Funcionários de Grasberg decidiram estender sua greve por um sexto mês, até o fim de outubro, segundo nota do ING, embora a iniciativa afete apenas parte da força de trabalho.

O cobre tem oscilado dentro de uma margem estreita desde a primeira quinzena de setembro. Recentemente, o metal tem subido nos negócios da manhã na Europa, antes de ser arrastado para baixo à tarde por realização de lucros em Nova York.

“Parece que os preços estão presos entre US$ 6.400 e US$ 6.500, por enquanto,” comentou Robin Bhar, chefe de pesquisa com metais do Société Générale.

Entre outros metais na LME, os ganhos eram quase generalizados: o zinco aumentava 0,79% no horário indicado acima, a US$ 3.138,00 por tonelada; o alumínio subia 0,35%, a US$ 2.131,50 por tonelada; o estanho avançava 0,17%, a US$ 20.710,00 por tonelada; e o níquel exibia ganho de 1,1%, a US$ 10.560,00 por tonelada. Única exceção no mercado inglês, o chumbo mostrava baixa marginal de 0,06%, a US$ 2.482,50 por tonelada. 

 

Fonte: Isto É (27/09/2017)

Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal



Parceiro:

Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal


Informações Agronômicas:

Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal

Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal

Todos os direitos reservados Abisolo © 2017