Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal

O cobre opera em alta nesta quarta-feira, em meio a grandes ganhos no setor de commodities. Em Londres, o metal está por volta da marca de US$ 7 mil a tonelada, amparado pelo vigor do petróleo.

Às 9h45 (de Brasília), o cobre para três meses subia 1,98%, a US$ 6.999 a tonelada. Às 9h53, o cobre para dezembro tinha alta de 1,76%, a US$ 3,1555 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), às 10h04.

Os preços das commodities subiam em geral nesta quarta-feira. O petróleo avança após os números de estoques nos EUA do American Petroleum Institute (API), que mostraram redução considerável nos estoques do país, aponta em nota o Commerzbank.

As mudanças no preço do petróleo tendem a influenciar o cobre, já que as duas commodities são muitas vezes negociadas em uma única cesta, com uma grande parcela alocada para o petróleo.

Os futuros de minério de ferro e vergalhões de aço também subiam na China, com a ajuda do apoio dos metais básicos e preciosos.

A mineradora estatal chilena Codelco afirmou que o cobre pode superar os US$ 10 mil a tonelada em 2018, já que o equilíbrio entre a oferta e a demanda poderia se tornar um déficit “substancial”, afirma em nota nesta manhã a Investec.

Corretor da Marex Spectron, Alastair Munro disse que o sentimento positivo predominou na London Metal Exchange, evento sobre o setor ocorrido nesta semana na capital do Reino Unido. Munro acredita que há espaço para mais altas nos contratos.

Nesta semana, investidores aguardam a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), na tarde desta quarta-feira, e a do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), nesta quinta-feira. Além disso, há expectativa para se saber quem deve ser o próximo presidente do BC dos EUA. O presidente americano, Donald Trump, deve anunciar sua escolha nesta semana.

Entre outros metais básicos negociados na LME, o zinco subia 1,15%, a US$ 3.300,50 a tonelada, o alumínio subia 1,98%, a US$ 2.211 a tonelada, o estanho tinha alta de 1,29%, a US$ 19.625 a tonelada, o níquel tinha ganho de 3,68%, a US$ 12.975 a tonelada, e o chumbo subia 2,02%, a US$ 2.469 a tonelada.

 

Fonte: Isto É (01/11/2017)

Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal



Parceiro:

Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal


Informações Agronômicas:

Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal

Abisolo - Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal

Todos os direitos reservados Abisolo © 2017