Café ocupa quinto lugar no ranking do faturamento das lavouras

31 de janeiro de 2019
Café.Foto: Cleverson Beje
Estimativas preliminares, para 2019, indicam que o faturamento bruto da lavoura cafeeira deverá decrescer 10% e atingir o montante de R$ 20,77 bilhões. No ranking de faturamento bruto das lavouras brasileiras em 2018, os cinco primeiros lugares foram ocupados pela soja, cana-de-açúcar, milho, algodão herbáceo e café.

O faturamento bruto total das lavouras brasileiras em 2018 atingiu o montante de R$ 383,87 bilhões, o qual foi calculado com base no volume produzido e nos preços médios recebidos pelos agricultores dos 21 principais produtos agrícolas. Assim, constata-se que o ranking dos cinco produtos que apresentaram maior faturamento é o seguinte: soja, em primeiro lugar, com R$ 142,36 bilhões, que equivale a 37% do faturamento total; em segundo, cana-de-açúcar – R$ 61,08 bilhões (16%); milho, em terceiro – R$ 47,12 (12%). Na sequência, em quarto lugar, algodão herbáceo, com R$ 33,99 bilhões (9%); e, por fim, o café, que figura em quinto lugar nesse ranking, com R$ 24,92 bilhões, cujo faturamento representa 6,5% do total.

Estimativas preliminares, para 2019, indicam que o faturamento bruto da lavoura cafeeira deverá decrescer 10% e atingir o montante de R$ 20,77 bilhões. Essa redução é atribuída ao efeito da bienalidade negativa que aponta uma queda de 10,8% na produção em 2019, se comparada com a safra colhida em 2018. A bienalidade é um fenômeno da cafeicultura, sobretudo do café arábica, que alterna produção maior em um ano e menor no ano seguinte.

Os dados e números que permitiram esta análise foram obtidos do Valor Bruto da Produção – VBP, elaborado e divulgado mensalmente pela Secretaria de Política Agrícola – SPA, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – Mapa desde 2005. No que concerne exclusivamente aos Cafés do Brasil, a partir de julho de 2014, as edições do VBP passaram a ser disponibilizadas no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café.

Esta edição do VBP também destaca que, em 2018, do faturamento bruto do café de R$ 24,92 bilhões, a espécie arábica teve receita estimada em R$ 19,96 bilhões, que representa em torno de 80% desse montante, e o café conilon, com R$ 4,96 bilhões, correspondeu a 20% do total. Nesse contexto, vale também ressaltar o VBP do café nas cinco regiões geográficas brasileiras, a saber: Região Sudeste, com faturamento de R$ 21,93 bilhões, corresponde a 88%; Região Nordeste, R$ 1,59 bilhão, 6%; Região Norte, R$ 808 milhões, 3%; Região Sul, R$ 420 milhões, 2%; Região Centro-Oeste, R$ 175 milhões, menos de 1%.

Cálculo do VBP do Café – Tem como base a safra anual estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e os preços médios recebidos pelos produtores divulgados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada – Cepea, da Universidade de São Paulo – USP.

Fonte: Notícias Agrícolas (29/01/2019).


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559