Com foco na segunda safra, ritmo do plantio do algodão ainda é lento em MT

27 de dezembro de 2018
algodao-plantac3a7ao
O plantio da safra 2018/2019 de algodão começou de forma tímida em Mato Grosso, apontam dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Até o momento foram semeados 13,9 mil hectares, o equivalente a 1,49% da área total prevista. No mesmo período do ano passado, os trabalhos tinham coberto 2,74% da área que viria a ser destinada à produção de pluma.

A “lentidão” é reflexo de uma estratégia que se consolidou no estado: optar pelo cultivo do algodão na chamada “segunda safra”, ou seja, após a colheita da soja. Nesta safra, por exemplo, a previsão do Imea era de que apenas 28,8 mil hectares fossem semeados com “algodão safra” (em áreas que não foram cultivadas com soja na safra principal). Isso representa cerca de 3% do espaço total que deve ser ocupado pelos algodoais no ciclo 2018/19 no estado, que deve chegar a 937,8 mil de hectares. Isso significa que, em janeiro, a movimentação no campo será grande: colheita da soja e cultivo intenso de algodão!

Se confirmada, aliás, esta área será um novo recorde da contonicultura mato-grossense. O incremento previsto em relação ao último ciclo é de 18%, o equivalente a algo em torno de 143,4 mil hectares. A produção prevista também deve ser recorde, chegando a 1,6 milhão de toneladas de pluma, alta de 17,1% em relação ao volume produzido na safra 2017/18.

O produtor rural Cristiano Botan, de Campo Verde, já deu início ao cultivo da lavoura de algodão. Ele vai manter os 1.500 hectares da safra passada. Deste total, 65% serão cultivados em janeiro após a colheita da soja (algodão safrinha). O restante, foi plantado entre os dias 15 e 20 de dezembro.

Fonte: Canal Rural (24/12/2018)


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559