Aplicação de calagem é uma operação complexa que pode alterar a disponibilidade de nutrientes

20 de dezembro de 2018
calagem (1)
A aplicação de calagem é muito complexa já que altera a disponibilidade de nutrientes e a biologia do solo.

No entanto, a prática da operação é utilizada para eliminar o alumínio que não favorece a nutrição da planta, sendo que o excesso desse elemento compromete o sistema radicular.

Segundo o Consultor Técnico, Áureo Lantmann, os princípios químicos da calagem são muito complexos que podem até alterar o solo.

É de uma grande complexidade em que a calagem vai modificar o PH do solo e acrescentar mais cálcio e magnésio. Quando muda o ph acaba alterando a disponibilidade de nutrientes pode ser maior ou menor” afirma.

Além de tudo, a calagem também muda a atividade microbiana do solo que é muito importante na liberação de nitrogênio, e no caso da soja, para a fixação biológica.

É uma operação grosseira de extrema complexidade, na medida em que colocar mais ou menos calcário pode ter uma reação com efeito positivo e também pode ter reação negativa para a cultura a ser implantada”, explica.

Caso a calagem não for bem executada pode induzir em uma deficiência de alguns nutrientes.

O efeito da adubação depende do ph do solo e da oferta de cálcio, magnésio e outros para que os nutrientes colocados venham a ser mais bem aproveitado”, comenta.

Após a implantação do plantio direto, a calagem é feita em uma quantidade menor e de forma superficial.

Todo o trabalho de pesquisa que foi feita e concluiu que as situações de plantio direto bem conduzido precisam colocar o terço da dose recomendada para o plantio convencional”, destaca.

O tipo de solo deve ser avaliado quando for fazer a calagem, tendo em vista que a quantidade de calcário deve ser menor em solos de textura arenosa.

É comum em grandes propriedades ter uma variação do solo, em uma parte ser mais argilosa e em alguns pontos ser mais arenoso”, diz.

Em relação aos períodos que devem ser realizadas a calagem, o consultor ressalta que é necessário ter um acompanhamento da análise do solo para definir uma nova aplicação.

Durante os anos que eu andei pelo o Brasil, eu observei uma série de critérios não técnicos em que a calagem é feita a cada dois anos ou a cada três anos. Porém, isso é feito sem uma argumentação técnica”, pontua.

Em muitos casos, o solo não necessita de uma nova aplicação de calagem já que com o plantio direto pode durar até cinco anos.

Por isso, é importante ter um acompanhamento da análise do solo já que através dela será possível dimensionar a quantidade de calcário que a área precisa”, salienta.

Em solos do cerrado, é preciso jogar o enxofre para realizar a calagem.

Esse enxofre é dimensionado para cada tipo de solo que vai ser capaz de levar o cálcio a profundidades maiores e fazer o sistema radicular se desenvolver melhor”, comenta.

Fonte: Notícias Agrícolas (18/12/2018)


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559


Categorias






2019 Abisolo- Todos os direitos reservados – Política de Privacidade