Na reta final, semeadura de soja alcança 99,66% da área total no Mato Grosso

29 de novembro de 2018
Soybeans and Pod
Na reta final: Na última semana a semeadura de soja em Mato Grosso para a safra 2018/19 alcançou 99,66% da área estimada, exibindo um avanço semanal de 0,29 p.p.

Assim, quase todas as regiões já finalizaram o processo, com exceção da região nordeste, que atualmente apresenta 98,00% de sua área semeada e registrou avanço de 1,54 p.p em relação à semana anterior.

Mesmo que ainda não tenha concluído, é interessante ressaltar que a região nordeste segue em ritmo acelerado, e a prova disso é o avanço de 19,28 p.p. em relação ao mesmo período do ano passado. Restando menos de 1% para que a semeadura seja finalizada, o foco principal é o desenvolvimento das lavouras, que até o presente momento segue sem grandes preocupações, e a previsão é de que as chuvas continuem ocorrendo de maneira frequente e volumosa, mas o tempo nublado e o alto índice de umidade podem ser fatores de atenção para esta safra.

Confira os principais destaques:

• O indicador Imea-MT apresentou uma queda de 1,12% na semana, ficando com média de R$ 65,87/sc, pautada principalmente pela retração na demanda interna e no leve recuo nas cotações em Chicago.
• O prêmio soja Paranaguá disponível segue em queda, fechando a última semana com baixa de 9,09% e cotação média de US$ 1,50/bu.

• Apesar das oscilações durante a última semana puxadas pelo mercado externo, o dólar encerrou o período próximo da estabilidade, com um pequeno recuo de 0,32%, média de R$ 3,79/US$.

• Ao longo das últimas semanas, a diferença de Base MT – CME segue enfraquecendo, fechando com retração de 15,30% e média de R$ -7,78/sc, reflexo da queda nas cotações no Estado.

PRIMEIRO SENTIMENTO:

Na semana passada foi divulgada pelo Imea a primeira estimativa do custo de produção para a próxima safra 19/20, que por sua vez vem acompanhada de novas perspectivas e alterações na estrutura, manejo da lavoura e tecnologia no pacote de insumos a ser utilizado.

Neste momento, apesar de ainda não haver comercialização de insumos, pode-se verificar que o custo operacional apresenta uma elevação de 10,19% se comparado ao custo da safra 18/19, estimado em R$ 3.491,63/ha. Nesta nova safra é possível perceber que os insumos devem obter um aumento considerável de 11,96%.

Os principais responsáveis por esse fato foram os macronutrientes e inseticidas, que sofreram alta de 29,0% e 31,5%, respectiva-mente, reflexo do aumento do custo de matéria-prima dos fertilizantes, do dólar e do frete. Assim, a safra 19/20 se inicia com uma perspectiva de maiores custos e uma estreita relação entre oferta e demanda mundial de fertilizantes.

Fonte: Cenário MT (27/11/2018)

 


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559