Agricultores antecipam compra de Calcário para aplicar na próxima safra de soja em MT e aumentar a produtividade

13 de junho de 2018
calcario_agricola-1-e1528920788187
A antecipação nas compras se ocorreu devido à boa colheita, e com mais capital, o agricultor investe mais no solo.

Os Produtores rurais do Mato Grosso estão antecipando a compra de calcário para a próxima safra de soja e melhorar o solo das lavouras. O produto aumenta os níveis de magnésio e cálcio dos grãos, evitanto graves perdas no processo de fotossíntese.

Na fazenda do produtor Gilson Antunes de Melo, que fica no município de Diamantino, a 209 km de Cuiabá, está sendo utilizado o calcário para melhorar o solo, onde os grãos da soja devem ser plantados em setembro.

Com maior demanda do produto nos campos, a expectativa de crescimento é de 8% nas vendas de calcário em relação a 2017. A produção do calcário em Mato Grosso deve atingir a sete milhões de toneladas.

Segundo o gerente de produção José Pedro Hoffman, a empresa onde ele atua precisou contratar novos funcionários para atender a demanda na produção de calcário.

A demanda está grande e estamos com dificuldade, mas iremos suprir as vagas de funcionários para concluir a demanda”, avaliou.

O presidente do Sindicato das Indústrias de Extração de Calcário de Mato Grosso (Sinecal), Kassiano Riedi, disse que a antecipação da compra do calcário pelos produtores rurais foi devido à boa colheita de soja.

Isso se deve à boa colheita de soja neste ano e o agricultor capitalizado investe mais no solo”, disse.

A escolha do calcário deve acontecer pelos seus teores de cálcio e magnésio e sua pureza química, ou seja, pelo Poder de Neutralização (PN).

Se os níveis desses macronutrientes no solo não estiverem acima de suas necessidades mínimas, os outros nutrientes adicionados pelos fertilizantes, que chegam a custar até 30 vezes mais, não ajudarão a atingir os melhores índices de produtividade, mesmo com sementes que respondam bem à adubação.

Além disso, as plantas podem enfraquecer com a deficiência de cálcio, apresentando sintomas como atrofia do sistema radicular, desastroso em um período de seca.

O magnésio, por sua vez, é um ativador de várias enzimas relacionadas à síntese de carboidratos e de ácidos nucleicos. No caso de sua deficiência, haverá graves perdas no processo de fotossíntese.

Fonte: G1 (12/06/2018)


Sobre

A Abisolo, Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal, foi fundada em março de 2003 com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da sustentabilidade e produtividade agrícola brasileira.


Av. Paulista, 726 – Ed. Palácio 5ª Avenida Cj 1307 – Bela Vista

(11) 3251.4559


Categorias






2019 Abisolo- Todos os direitos reservados – Política de Privacidade